Fiscal

Cálculo do Simples Nacional 2018: Aprenda de maneira simples e fácil!

Cálculo do Simples Nacional 2018
Escrito por Leonel Monteiro

Hoje com as mudanças que ocorre na legislação, nós contadores ficamos até mesmo com falta de tempo para entender a aplicar todas essas mudanças. Uma mudança muito grande, foi com relação as empresas optantes pelo Simples Nacional, vou aqui explicar para vocês o novo cálculo do Simples Nacional 2018, vou ser direto e claro para você entender bem ok.

 

Como é o hoje até 31 de dezembro de 2017?

 

Temos que destacar 3 passos:

1º – Saber o valor do faturamento dos últimos 12 meses;

2º – Verificar o anexo e a faixa que a empresa se encontra;

3º – Multiplicar o faturamento mensal pela alíquota encontrada;

Simples e fácil certo? Errado, temos também que levar em consideração várias regras de segregação para não fazer nosso cliente pagar impostos indevidos, mas isso vamos deixar para outro artigo!

 

Como será o cálculo do Simples Nacional 2018?

 

Temos também que destacar 3 passos:

1º – Saber o valor do faturamento dos últimos 12 meses;

2º – Encontrar a alíquota através dessa simples fórmula: (RBT12 * Aliq) – PD/RBT12

3º – Multiplicar o faturamento mensal pela alíquota encontrada;

 

Agora você diz: Tá, deu no mesmo!??? Calma, vamos jogar tudo isso em números!

 

Vamos dizer que nossa empresa de comércio de nome EMPRESA X teve os seguintes faturamentos:

 

No cálculo de hoje até 31 de dezembro de 2017, com o seguinte abaixo anexo vigente, irá ficar assim:

1º – Saber o valor do faturamento dos últimos 12 meses:

R$ 3.226.440,60 (pegamos do nosso RBT12 na imagem acima do nosso faturamento).

2º – Verificar o anexo e a faixa que a empresa se encontra:

Faixa de faturamento até R$ 3.420.000,00, alíquota 11,42% (Verificar o anexo I acima)

3º – Multiplicar o faturamento mensal pela alíquota encontrada;

R$ 245.615,48 x 11,42% = R$ 28.049,29

Aparentemente Simples, nisso porque é um exemplo ok, lembre-se das segregações dos produtos monofásicos, sujeitos a substituição tributária, etc.

 

No cálculo do Simples Nacional 2018, com o seguinte anexo vigente, irá ficar assim:

1º – Saber o valor do faturamento dos últimos 12 meses;

R$ 3.226.440,60

2º – Encontrar a alíquota através dessa simples fórmula: (RBT12 * Aliq) – PD/RBT12%

(R$ 3.226.440,60 x 14,30%) – 87.300,00 / 322644060,00%

461.381,01 – 87.300,00 / 322644060,00%

374.081,01 / 322644060,00%

11,59%

3º – Multiplicar o faturamento mensal pela alíquota encontrada;

R$ 245.615,48 x 11,59% = R$ 28.477,23

 

Viu como não é difícil? Aliás, ficou mais complicado que o anterior!!!! E mais uma vez além de complicar nossa vida, o governo está cobrando ainda mais dos contribuintes em alguns casos, mas fazer o que, tá aí o cálculo, espero que tenham gostado e aprendido, em breve vou disponibilizar uma planilha lá na nossa página no Facebook para vocês fazerem tudo isso de forma automática ok.

Comenta e compartilha para ajudar mais colegas a entenderem o assunto, e também curta nossa página no Facebook, lá eu posto vários artigos como esses, as alterações da legislação federal e trabalhista diariamente, fique por dentro e atualizado com as obrigações.

Obrigado pela atenção e forte abraço galera!

Sobre o autor

Leonel Monteiro

Sócio Fundador e CEO da é-Simples Auditoria Eletrônica, Contador, Consultor Tributário, Empreendedor, trabalhando na área fiscal desde 2007 e agora programando sistema para promover benefícios fiscais a seus clientes.

4 comentários

  • Certo compreendo os dois calculos porem nao podemos deixar a grosso modo.
    Temos que colocar em evidencia as deduções seguindo as repartições dos Tributos, para calculo de ICMS-ST, PIS, COFINS e outros conforme decretos.
    Que em alguns Casos pode gerar uma redução de mais de 100,00 (cem reais) em comparação ao modo anterior. Claro, não é em todos casos pois haverá casos em que é preferível optar-se pelo Lucro Presumido.

  • Uma dúvida: nesse novo modelo, a alíquota encontrada (formula) será aplicada sobre o total do faturamento, independente do produto estar na SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA, como ocorre hoje?

  • O curioso é que, aquela empresa que estiver enquadrada no Anexo III ou IV (ISS limitado a 5%), caso o acumulado dos ultimos 12 meses estiver um pouco acima do limite (sendo assim, necessário redistribuir o saldo para os outros impostos federais da mesma faixa de receita), a aliquota do CSLL e consequentemente o valor correspondente sera menor que o original.

    Ex: Faturamento 12 meses: 2.070.000,00

    CSLL Original: (0,5226% – R$ 96,67) CSLL apos redistribuicao: (0,5223% – R$ 96,63)

  • Como fica no caso da empresa pertencer a primeira faixa( até 180.000,00)?
    RBT12 = 4.798,75
    Faturamento mensal= 408,00

Deixar comentário.