Fiscal

Entenda o que é uma baixa por omissão contumaz e como recuperá-la

Escrito por Leonel Monteiro

O empreendedor e microempreendedor brasileiro encontra muita burocracia ao estabelecer e manter um negócio. Existem inúmeros tributos, declarações e demonstrativos que precisam estar detalhados e normalizados. Com isso, alguns proprietários podem sofrer uma baixa por omissão contumaz.

Neste artigo, será abordado o que é a omissão contumaz e como se organizar para recuperar uma empresa que sofreu esse tipo de processo. Portanto, se você pretende obter informações essenciais e objetivas, continue a leitura!

O que é omissão contumaz?

Algumas empresas deixam de esclarecer informes financeiros periodicamente à Receita Federal do Brasil (RFB). Quando essa ausência ocorre por cinco ou mais ciclos fiscais, a contabilidade usa a expressão omissão contumaz. Essa violação na entrega de demonstrativos e declarações contábeis não é apenas um esquecimento ou problema específicos com documentação.

As principais declarações e demonstrativos que estão obrigadas a serem entregues para fiscalização são:

  • e-Financeira;

  • Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP);

  • Escrituração Fiscal Digital (EFD);

  • Escrituração Fiscal Digital das Contribuições (EFD-Contribuições);

  • Escrituração Contábil Fiscal (ECF);

  • Escrituração Contábil Digital (ECD);

  • Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf);

  • Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis);

  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF);

  • Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR);

  • Declaração Única e Simplificada de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DASN);

  • Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei);

  • Declaração Simplificada da Pessoa Jurídica (DSPJ) – Inativa;

  • Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ).

A omissão contumaz traz empecilhos ao negócio, pois, causa baixa ou inativação no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Se o empreendedor deseja reabrir o estabelecimento é preciso recorrer a um especialista na área.

Como regularizar a condição de omissão contumaz?

Se a companhia for considerada pela Receita Federal do Brasil, inapta por omissão contumaz, o dirigente gestor da entidade deve normalizar a circunstância por declarações e demonstrativos exigidos pelo órgão responsável. No caso de alguma confusão com os esclarecimentos basta apenas apresentar os documentos de comprovação de regularidade a uma unidade que realiza a jurisdição. Tudo isso, pode ser realizado na internet no site da Receita Federal.

O órgão de registro oferece um relatório referente às restrições do CNPJ esclarecendo os motivos de baixa da empresa. Diante disso, o processo de reativação pode ser realizado mediante ao pagamento de impostos, dívidas e multas, assim, a Receita Federal poderá autorizar a ativação do cadastro.

Como reativar o CNPJ de um MEI por omissão contumaz?

O microempreendedor individual (MEI), diferente dos outros casos, fica inativo efetivamente, pois tem seu CNPJ cancelado. Dessa forma, o indivíduo responsável (pessoa física) após regular toda a situação que levou o cancelamento do CNPJ deve criar outro cadastro.

Segundo uma pesquisa do Instituto Endeavor, ao abrir uma empresa no país leva-se em torno de 117 dias com as licenças, registros, etc. Entretanto, o tempo médio em outros locais é de 79,5 dias de acordo com cálculos do Banco Mundial.

A burocracia no cenário local carrega problemas rotineiros para os gestores, então é importante contar com o auxílio de apuração especializada que coleta detalhadamente informações de forma correta. Assim, evita-se a omissão contumaz, o que garante maior produtividade, pagamento correto e precisão no serviço.

O que você achou do nosso artigo? Agora que você compreende como agir diante de uma omissão contumaz, assine a nossa newsletter e receba informações relevantes sobre gerenciamento de negócios!

Sobre o autor

Leonel Monteiro

Sócio Fundador e CEO da é-Simples Auditoria Eletrônica, Contador, Consultor Tributário, Empreendedor, trabalhando na área fiscal desde 2007 e agora programando sistema para promover benefícios fiscais a seus clientes.

Deixar comentário.