Contábil

Afinal, o que é balancete contábil? Descubra!

Escrito por Leonel Monteiro

É fundamental que os gestores tenham em mãos dados precisos a fim de tomar as melhores decisões para o negócio. Para isso, contar com o balancete contábil é uma ótima ideia. Trata-se de um relatório que engloba todos os saldos de débitos e crédito de um certo período da empresa.

Devido à sua contribuição para a implementação de ações estratégicas que buscam manter a saúde financeira do negócio, é necessário que você saiba a sua importância e como funciona para, assim, utilizá-lo da melhor forma possível.

Para esclarecer suas principais dúvidas, elaboramos este post. Confira!

Qual é a importância do balancete contábil?

Trata-se de uma importante ferramenta para o gerenciamento eficaz da empresa, já que os setores contábil e financeiro têm grande influência sobre o êxito das operações. Dessa forma, o balancete contábil é primordial para o monitoramento atualizado do desenvolvimento do negócio, além de ser útil para auditar a integridade da atividade contábil.

Outra situação em que o balancete pode ser utilizado é para verificar da situação patrimonial em relação aos saldos, com a finalidade de compará-los, por exemplo, com o orçamento aprovado a fim de identificar a evolução dos custos, margens de lucro, despesas recorrentes etc.

Qual é a diferença entre balanço e balancete?

O balancete é um demonstrativo não obrigatório, mas importante para evitar eventuais erros de crédito e débito na contabilidade da empresa. Pode ser editado sempre que preciso. Já o balanço patrimonial, diferentemente do balancete, é de caráter obrigatório, sendo uma das principais obrigações contábeis de uma companhia.

É apresentado anualmente, ao final do exercício, e possibilita a apuração de maneira quantitativa e qualitativa da situação real do patrimônio e das finanças de uma organização durante o período. Por exemplo, ele pode apontar se houve lucro ou prejuízo.

Como o balancete contábil funciona?

Para a sua elaboração, são utilizados como base os dados inseridos no Livro Razão. Ou seja, as transações financeiras registradas nas contas patrimoniais e de resultado. Primeiramente, o montante de cada conta é encontrado de acordo com a sua natureza, que pode ser devedora ou credora, de forma que os grupos aos quais a conta pertence, sejam eles ativos, passivos ou patrimônio líquido, não sejam considerados.

Após, essas informações são repassadas para o balancete, onde o saldo devedor ficará do lado esquerdo, enquanto o saldo credor será anotado no lado direito. A soma de todos os itens, de cada lado, é que resulta nos saldos finais.

Com qual frequência precisa ser feito?

O balancete contábil pode ser feito em diversos períodos, por exemplo, mensal, quinzenal ou, até mesmo, diário, apresentando todos os saldos e contas em um tempo específico, sendo de utilização interna e estratégica da instituição.

Agora que você já sabe a importância da utilização do balancete contábil, mesmo não sendo de caráter obrigatório, contar com o auxílio de um profissional qualificado nesse processo pode ser interessante, já que muitos gestores deixam de utilizar esse tipo de relatório por não saber como elaborar e interpretar seus dados.

Gostou deste post? Então, deixe seu comentário aqui e compartilhe com a gente sua opinião e experiência sobre o assunto!

Sobre o autor

Leonel Monteiro

Sócio Fundador e CEO da é-Simples Auditoria Eletrônica, Contador, Consultor Tributário, Empreendedor, trabalhando na área fiscal desde 2007 e agora programando sistema para promover benefícios fiscais a seus clientes.

Deixar comentário.